Skip to Content

Último dia do Rock in Rio 2013

Iron Maiden, Slayer , Kiara Rocks, Viper, Sepultura e Helloween foram os melhores shows!

By Print Preview

 

iron maiden rock in rio 2013 300x168 Último dia do Rock in Rio 2013

Bruce Dickinson do Iron Maiden
Foto: Ivan Pacheco / Veja

Mais uma vez o Heavy Metal fez bonito e gritou mais alto no último dia do Rock in Rio 2013!

Assim como aconteceu na quinta feira, dia 19, um desfile de técnica, precisão, presença de palco, interação com o público e classic rocks que, não só alegrou bastante, como deu sentido à vida dos integrantes da tribo mais fiel do universo da música.

Aliás, não é verdade o que foi dito durante a (boa) transmissão do MultiShow; é enganoso afirmar que “estava fácil” agradar a massa — quase toda ela cabeluda e trajando camisetas pretas. Muito pelo contrário, caríssimo Beto Lee: esse foi o público mais exigente que pisou na Cidade do Rock e era formado por quem entende verdadeiramente do assunto, por quem sabe como é difícil fazer um bom solo de guitarra e por quem sente na pele como requer trabalho tocar com precisão todos os arranjos de algumas jóias preciosas do Rock pesado. Isto posto, vamos em frente.

O dia começou muito bem no Palco Sunset com ótimos shows de André Matos e da banda Viper — este último teve a participação do próprio André, seu primeiro vocalista, que entrou no grupo “quando ainda usava fraldas”, aos 13 anos. O setlist foi caprichado e incluiu até sucessos imortalizados por Angra e Shaman (ex-bandas de André), como “Carry on”, “Angels Cry”, “Lisbon” e “Fairy Tale”. Confira as apresentações completas no fim deste post.

Em seguida, o vocalista e baixista do Destruction, Marcel Schmier, além liderar um show memorável da banda alemã, também demonstrou ter se esforçado bastante para aprender uma dezena de palavras em português, mais da metade delas de baixo calão. O show, que contou com participação da banda Krisiun, manteve, porém, o alto nível artístico, com destaque para canções recheadas de riffs pesadísismos, como “The Butcher Strikes Back”. Confira o show completo lá embaixo deste post.

Depois, foi a vez de Kai Hansen, que é considerado o pai do Power Metal, junto com seu antigo grupo, o icônico Helloween. Mais uma performance de cair o queixo e de ótimo nível técnico, com o baterista Dani Löble parecendo ser movido a eletricidade, tal a velocidade do ritmo imprimido com as baquetas e o bumbo duplo durante a verdadeiramente incrível apresentação da banda alemã. Um dos destaques foi o “hino” “If I Could Fly”. Show completo no fim do post.

A grande surpresa da noite foi a apresentação histórica da banda nacional Kiara Rocks, que protagonizou um dos melhores shows da edição 2013 do festival carioca. Como já disse, foi um show simplesmente surpreendente, que ainda contou com as participações especialísisimas de Marcão, do Charlie Brown Jr, e Paul Di’Anno, vocalista original do Iron Maiden. “Nada a Perder”, “Falso Alarme”, “In Coma”, “Sinais Vitais”, “Não Vai Adiantar” (maravilhosa), “Ace of Spades” (cover do Motörhead), “Highway To Hell” (cover do AC/DC), “Blitzkrieg Bop” (cover do Ramones) e “Wrathchild” (cover do Iron Maiden) brindaram o público com muita endorfina, adrenalina e alto astral. Para fechar o espetáculo épico, “Últimos Dias” e uns bons goles de Jack Daniels (cowboy, claro!). Sensacional!

Com quase três décadas de estrada, o já lendário Sepultura, além de história, também fez dezenas de shows no Rio de Janeiro e no restante do País. Por esse motivo, o setlist de sua segunda participação no Rock in Rio 2013 estava repleto de raridades, tais como: “Dark”, “Wood and Error”, “Spit”, “The Hunt” (ótimo cover do New Model Army), “Dusted”, “Propaganda”, “Inner Self” e “Da Lama ao Caos” (cover de Chico Science & Nação Zumbi). Um show com todo aquele peso costumaz, até que…eis que chega Zé Ramalho, um dos maiores nomes da MPB e que já havia gravado, em 2008, junto com o mais famoso grupo do Heavy Metal nacional a canção “A Dança das Borboletas”. “É um privilégio dividir o palco com esse monstro da música brasileira”, anunciou Andreas Kisser. O ponto alto foi um dos “hinos” da Música Popular Brasileira, “Admirável Gado Novo”, só que em versão pauleira. “Duas coisas estão são linkadas na minha vida: Rock n’ Roll e Forró”, já tinha adiantado Zé Ramalho, pouco antes desse, que foi um dos momentos mais marcantes deste ano no Palco Sunset.

O Slayer apresentou-se para o serviço no Palco Mundo liderado pelo vocalista e baixista chileno Tom Araya, o católico apostólico romano que toca o som mais pesado do mundo. O show da ultra barulhenta (isso não é uma crítica) banda criada na Califórnia, foi iniciado por “World Painted Blood”, que agradou em cheio. Seguiram-se (não necessariamente nessa ordem) “Disciple”, “War Ensemble” (com solo de guitarra arrasador e ótimas viradas de bateria), “Seasons in the Abyss”, “At Dawn They Sleep”, “Mandatory Suicide” (abriram-se rodas gigantescas na plateia e subiu muita fumaça), até que “Die by the Sword” enlouquece de vez o público com direito a solos demolidores dos guitarristas Gary Holt e Kerry King. Também fizeram bonito: o baterista Paul Bostaph (ex-Testament) e o falecido guitarrista Jeff Hanneman (no telão).

Coube ao Avenged Sevenfold a árdua tarefa de entreter os fãs que aguardavam o encontro com uma das melhores e mais influentes bandas de toda a trajetória do Rock pesado, o Iron Maiden. “Nightmare”, “This Means War”, “Requiem”, “Hail to the King”, “Bat Country” e “Unholy Confessions” deram conta do recado, mesmo com os insistentes gritos de “Maiden!, Maiden…!”, afinal os próprios integrantes do Avenged Sevenfold são eles mesmos fãs assumidos da maioria dos artistas que estrelaram a verdadeira festa de arromba, que aconteceu neste domingo na Barra da Tijuca.

Uma das maiores bandas de todos os tempos para fechar uma edição de um dos maiores e, por que não dizer?, mais tradicionais festivais de música do mundo; eis um casamento perfeito! O Iron Maiden comandou uma gigantesca plateia de metaleiros com a mesma segurança e competência com que o vocalista Bruce Dickinson decola e pousa um Boeing 757. Foi mais um show memorável do sexteto que pode tranquilamente ser apontado como o maior representante do Heavy Metal da atualidade. A precisão e o profissionalismo dos britânicos são marcas registradas do grupo, fato incontestável e conhecido por aqui desde 1985, ocasião da primeira edição do Rock in Rio, na qual os então moleques integrantes do Maiden tiveram um dos melhores desempenhos. Alguns dos destaques deste show — calcado no álbum “Seventh Son of a Seventh Son” (1988) — foram: “Moonchild”, “Can I Play With Madness”, “2 Minutes to Midnight”, “The Trooper”, “The Number of the Beast”, “Run to the Hills” e “Fear of the Dark”. Quer ver o show completo? Está aqui:

Último dia do Rock in Rio 2013

Iron Maiden

Kiara Rocks

Slayer

Viper & André Matos

Destruction & Krisiun

Helloween & Kai Hansen

Avenged Sevenfold


 

 

No Responses to “Último dia do Rock in Rio 2013” Leave a reply ›

Leave a Reply

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


2 × três =

Publicidade

Publicidade

Publicidade