Controlando a fome emocional
bodyproject.com.au
Por *Dra Judith Beck:

A Dra. Judith Beck, autora dos best-sellers “The Beck Diet Solution” e “The Complete Beck Diet for Life”, oferece dicas e conselhos para emagrecer e permanecer magra.

P. Por que tem gente que acha que é tão difícil emagrecer e permanecer magra?

A. Não é culpa delas. Ninguém nunca ensinou-lhes como manterem-se motivadas a cada dia, utilizando bons hábitos alimentares, lidando com a fome, os desejos e a gula emocional – muitas voltam a comer compulsivamente após terem se alimentado. Mas tudo isso pode ser ensinado.

P. Como as pessoas magras pensam, exatamente? Qual é a grande diferença entre os pensamentos delas e os de nós, que lutamos contra o peso?

A. As pessoas magras pensam diferente de muitas maneiras. Por exemplo, eles acham que a fome é normal e algo esperado. Eles sabem que a fome não é uma emergência, que na pior das hipóteses é levemente desconfortável, que ela realmente vai e vem e que a comida tem gosto melhor quando estão com fome. Se faltar uma hora para a refeição e sentem fome, simplesmente esperam, sem sequer pensar nisso.

Os que utam contra o peso, por outro lado, geralmente ficam nervosos com a sensação de fome, por isso comem demais nas refeições e lanches, carregam comida para todo lado e ficam ansiosos, imaginando quando irão ter acesso a comida novamente. Eles acham que a fome não é natural, que é uma coisa má e que o quadro irá piorar até o tornar-se intolerável.

Tenho as pacientes que ficam por várias horas sem comer (nunca em casos graves). De hora em hora, procuramos analisar o grau de desconforto causado pela fome momentânea e o quão desconfortável ela era na hora anterior. É tão libertador! As pessoas descobrem que a fome é facilmente tolerada, que tem a duração de 5 ou talvez 10 minutos e depois vai embora completamente. Ele volta, mas novamente é apenas levemente desconfortável e vai embora novamente.

P. Esta abordagem (terapia cognitiva) realmente funciona?

A. Eu recebi milhares de e-mails de pessoas dizendo que a abordagem funciona. Não é apenas uma dieta. Trata-se do domínio de habilidades como: desenvolvimento de um bom plano alimentar, capacidade de lidar com a fome e os desejos, além de controle emocional. Depois de dominar essas habilidades, a dieta fica mais fácil e ficará mais fácil ainda se você tiver um plano de alimentação funcional.

A dieta que crei (descrita no livro “The Beck Diet Solution”) oferece um plano de alimentação e ensina como incluí-lo em sua vida. Desde o primeiro dia, você tem direito a 150 ou 200 calorias diárias de qualquer alimento que você desejar. Pode comer uma barra de chocolate ou sorvete todos os dias. Quero que as pessoas aprendam a comer quantidades moderadas de seus alimentos favoritos, desde o início. Nenhum alimento é proibido. Um grande problema com muitas dietas é que elas fazem você eliminar certos alimentos. Mas a maioria de nós é altamente propensa a voltar a comer estes alimentos em algum ponto, por isso a menos que você já aprenda a comê-los moderadamente, você pode perder o controle, causando o aumento de peso.

Também oriento as pessoas a terem uma “ocasião especial”. É perfeitamente razoável ter um extra de 300 calorias, uma vez por semana, quando você está comendo fora ou ter calorias extras todos os dias quando você está de férias. Você pode ganhar um quilo ou dois, mas retornará ao normal quando chegar em casa. É muito melhor ter uma diretriz flexível do que uma regra rígida que você violará, sentirá culpa e que pode acabar abandonando.

P: Então não há realmente nenhuma “dieta” específica que você tem que seguir?

A. Não há dieta mágica. Não acredite em todas as falsas alegações que estão por aí! A pesquisa mostra que qualquer dieta funciona no curto prazo se você está ingerindo menos calorias do que está queimando. Não existe combinação mágica de alimentos, nem fórmula mágica quando você come. Mas você não será capaz de continuar a perder peso ou de mantê-lo estável se você não estiver com uma dieta realmente saudável, mas que é flexível e permite que você coma seus alimentos favoritos.

P. Existem técnicas específicas para substituir esses tipos de pensamentos?

A. Peço às pessoas para escreverem respostas a esses pensamentos inúteis, lê-las todas as manhãs e lê-las quando estiverem tentadas a comer algo que não planejavam. Aqui estão alguns exemplos:

• Se eu comer isso, eu vou sentir prazer momentâneo, mas vou me sentir mal depois.

• Se eu comer isso, provavelmente vou comer mais da próxima vez e não vou perder peso. Se eu não comer isso, provavelmente vou ficar mais resistente da próxima vez que sentir essa tentação. Até que um dia a tentação vai desaparecer.

• Se eu sentir que é injusto que eu não esteja comendo exatamente do jeito que os outros estão comendo, devo me lembrar que eu provavelmente estou comendo da mesma maneira dos que são capazes de controlar seu peso.

• Se eu cometer um erro, grande coisa. Isso provavelmente não vai mesmo aparecer na escala até o final da semana. Mas se eu me enganar pensando que deveria então comer o que quiser, posso ingerir milhares de calorias, o que me tornará infeliz.

P.O que você recomenda que as pessoas façam para começarem a pensar em comida de forma saudável e a comerem de maneira diferente?

A. Uma técnica importante é anotar todos os motivos que você tem para perder peso. A maioria das pessoas tem pelo menos 15 ou 20, continuando sempre a acrescentar motivos à lista. Você deve ler a lista todas as manhãs e imediatamente antes de momentos difíceis do dia. Esta é uma forma de lembrar constantemente qporque vale a pena manter o seu plano.

Você também pode criar uma caixa de distração para os momentos em que você está com fome ou sentir vontade de comer por razões emocionais. Coloque na caixa de uma lista de atividades que lhe darão distração, por exemplo, uma lista de pessoas para quem gostaria de ligar, e-mails e sites que você gostaria de visitar ou jogos de computador você gosta de jogar. Incluir também alguns objetos que irão distraí-lo, como palavras cruzadas, um livro de enigmas de Sudoku, um DVD, um CD, um bom livro etc. Lixar as unhas é uma ótima distração!

*A Dra. Beck é o diretora do Instituto Beck de Terapia Cognitiva e Pesquisa e Professora Associada em Psiquiatria Clínica da Universidade da Pensilvânia.

Fonte: foxnews.com

Newsletter Barrazine

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações.

Sucesso!!!

Opa, algo errado...

Previous post

Verão também é tempo de vinho

Next post

Medicamentos a preço de fábrica!