Pegar um resfriado é algo muito chato, mas há coisa ainda pior, como, por exemplo, pegar uma gripe.

Ainda que seja possível aliviar os sintomas com aspirina ou anti-gripal – sempre receitados por um médico -, existem também recursos caseiros que podem combater as dores de cabeça e garganta, além da congestão nasal.

O site especializado em saúde Healthline.com faz as seguintes recomendações quando um resfriado bate à porta:

1) Canja de galinha.

Vários estudos científicos indicam que a canja ajuda a levantar o ânimo de quem pega um resfriado. Além disso, de acordo com artigo do American Journal of Therapeutics, a carnosina, um antioxidante encontrado no frango, é muito importante no combate ao início do resfriado graças a seu poder de combater infecções.

Um outro estudo também demonstrou que a canja de galinha torna mais lentos os neutrófilos, espécie de glóbulo branco, fazendo com que se concentrem por mais tempo onde são necessários.

2) Gengibre.

É reconhecido como o alimento medicinal mais completo por ter múltiplas propriedades; antibióticas, anti-inflamatórias, antibacterianas etc. Para combater a tosse a dor de garganta, recomenda-se tomá-lo junto com água quente, mel e limão. No entanto, deve-se ter cuidado se o paciente estiver com febre, uma vez que a ingestão de gengibre eleva a temperatura corporal.

3) Mel.

É antisséptico e possui propriedades antibióticas. Ajuda a suavizar a garganta e a aliviar a tosse noturna, demonstrou estudo publicado em 2012 na revista Pediatrics.

Contudo, apesar do mel ser um produto saudável, ele não está livre para o consumo de todos. Não deve ser consumido por diabéticos, por quem tem resistência à insulina ou menores de dois anos.

4) Alho.

É famoso por fortalecer o sistema imunológico e por ter propriedades antivirais, antifúngicas e antibacterianas, graças à alicina, princípio ativo também presente na cebola, cebolinha e alho-poró. O consumo de alho não penas combate o resfriado como também previne sua aparição.

5) Echinacea.

Esta planta derivada das margaridas fortalece o sistema imunológico, protegendo as células dos vírus, além de conter propriedades antifúngicas e antivirais. Também é rica em flavonóides, que combatem inflamações.

Estudo publicado na revista The Lancet indica que a echinacea reduz a incidência e a duração do resfriado comum. Pode ser ingerida sob a forma de chá ou suplementos.

6) Vitamina C.

Uma limonada quente é capaz de combater a congestão, dor de garganta etc. Isso porque o limão é uma riquíssima fonte de vitamina C, a qual é famosa por fortalecer as defesas.

Além do limão, a vitamina C pode ser encontrada em frutas cítricas, vegetais verdes (como a couve, pimentão – especiamente o amarelo – ), berries etc.

7) Probióticos.

probióticos são bactérias e leveduras vivas que são benéficas para a saúde, em especial, para o sistema digestivo. O consumo adequado de probióticos ajuda na reposição de bactérias “boas” do intestino, ajudando a flora a resistir aos efeitos de antibióticos ou doenças e infecções invernais.

Pode ser ingeridos sob a forma de cápsulas ou consumidos como alimentos; os iogurtes são, em geral, uma excelente fonte.

8) Água salgada.

Um estudo realizado no Japão demonstrou que o gargarejo com água salgada ajuda a prevenir infecções no aparelho respiratório superior, além de amenizar os sintomas do resfriado.

Despejar uma colher de sal em um copo d’água morna, fazer bochechos por toda a boca e gargarejos, cuspindo ao final.

Também pode-se ferver a solução e utiliza-la como um poderoso descongestionante nasal.

9) Unguentos mentolados.

Para combater a congestão nasal durante a noite, é muito eficaz esfregar unguentos mentolados no peito e nas costas, bem como a utilização de compressas no nariz e nos olhos – que irão dilatar as narinas e melhorar a respiração também. Não recomendado para crianças com menos de 2 anos.

10) Umificadores.

Mantém a umidade do ar o que dificulta a disseminação de vírus e ajuda a quem está resfriado a respirar melhor.

O único inconveniente é que deve-se limpa-los diariamente para evitar a proliferação de bcatérias na água.

Fonte deste artigo: www.emol.com

Previous post

5 benefícios para a saúde do exercício ao ar livre

Next post

Nove pecados contra a beleza, nove soluções