Com mais de dois milhões de livros vendidos e considerada uma das maiores escritoras em atividade no Brasil, Thalita Rebouças estará nesta quinta-feira, dia 11/7, na Escola Municipal Bernardo de Vasconcellos conversando com alunos sobre a temática de suas histórias: relações entre mãe e filhos, os desafios para mudar de escola, bullying, preconceito e respeito.

Os estudantes desta escola da Prefeitura do Rio, localizada na Penha, zona norte da cidade, estão produzindo textos baseados em best-sellers da autora como “Fala sério, mãe!”, “Tudo por um popstar” e “Ela disse, ele disse”. Ao final do encontro, a autora irá premiar os melhores escritores da unidade com livros autografados. A ação faz parte do projeto “Bienal nas Escolas”, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação com a Bienal Internacional do Livro.

A Bienal propriamente dita só acontece no mês que vem no Riocentro. Mas antecipadamente, a rede municipal de ensino está recebendo escritoras renomadas. De forma inédita, quatro escritoras já confirmadas para o evento estão visitando as escolas da Prefeitura do Rio para falar sobre a importância da leitura, divulgar suas histórias e motivar estudantes e professores a participarem do maior evento literário do país. Na segunda-feira, 8/7, quem abriu a jornada literária foi a jornalista e escritora Miriam Leitão. Especialista em economia, Miriam mudou o discurso habitual para conversar com crianças do Espaço de Desenvolvimento Infantil Eu Sou, na Praça Seca, sobre seu livro infantil “A Perigosa Vida Dos Passarinhos Pequenos”, uma fábula pela preservação dos animais e do ecossistema. Nesta quinta-feira, é a vez de Thalita Rebouças.

E no mês que vem, dia 13/8, às 10h, a Escola Municipal Epitácio Pessoa, no Andaraí, abre as portas para as dicas da jornalista, escritora e influenciadora digital Nathalia Arcuri. Com mais de 3,6 milhões de seguidores no canal “Me Poupe” do Youtube, a autora figura as listas dos mais vendidos com o livro homônimo e se tornou referência na internet quando se fala em educação financeira. Na escola, ela irá discutir com os alunos seus sonhos de curto, médio e longo prazo para discutirem a importância do planejamento financeiro na vida pessoal.

Já a escritora infantil Ana Maria Machado, sexta ocupante da cadeira nº 1 da Academia Brasileira de Letras e ex-presidente da ABL, vai levar o encanto de suas histórias infantis para a Escola Municipal Domingos Bebiano, em Inhaúma, no dia 16/8, às 10h. A autora de obras como “Menina bonita do laço de fita”, “Caro professor” e “Gente bem diferente” encontrará 150 alunos de 4 a 10 anos de idade para falar sobre a temática de suas histórias e a importância da leitura para a vida.

Para a gerente de leitura da SME, Carla Celestino, aproximar os autores dos estudantes é mais uma ação que vai potencializar a paixão pelos livros no coração dos estudantes da rede municipal.

— Ações como essas possibilitam a aproximação dos alunos com o universo literário, com autores, ilustradores, profissionais da área cultural e suas obras, favorecendo não somente o acesso ao livro e a literatura, mas também a promoção da leitura e a formação do leitor.

A SME na Bienal do Livro 2019

Além do projeto inédito Bienal nas Escolas, a Secretaria Municipal de Educação promove, tradicionalmente, a visitação de alunos da rede ao evento e adquire títulos para compor o acervo das 1.540 unidades escolares do município. Também recebem obras diversificadas o Centro de Referência de Educação de Jovens e Adultos, o Instituto Helena Antipoff, a Escola de Formação Paulo Freire, a Sala de Leitura Lourenço Filho, que funciona no prédio central da Prefeitura do Rio, e as 14 Bibliotecas Escolares Municipais distribuídas por todas as regiões da cidade.

Durante o evento, o estande da Secretaria Municipal de Educação vai expor os trabalhos de leitura das unidades escolares. Os alunos que visitarem a Bienal também poderão usar o voucher de livro distribuído na entrada da feira com um título selecionado pela secretaria neste espaço.

Thalita Rebouças

A carioca Thalita Rebouças sempre sonhou em ser escritora. Aos 10 anos, ela já se denominava “fazedora de livros”. Jornalista por formação, ela abandonou as redações para se dedicar à literatura. Após batalhar para conquistar seus leitores – Thalita distribuía balas para possíveis leitores nas suas primeiras Bienais do Livro -, ela alcançou a marca de 2 milhões de exemplares vendidos no Brasil e no exterior. Hoje, com 25 livros publicados, autora-sensação do público jovem, ajudou a formar leitores com seus personagens em livros como “Traição entre amigas”, “Fala sério, mãe!”, “Tudo por um feriado”, “Por que só as princesas se dão bem?” e “Confissões de um garoto tímido, nerd e (ligeiramente apaixonado)”.

Previous post

Segundo fim de semana do Arraiá Downtown terá muito forró e comidas típicas

Next post

Drogaria Venancio da Barra da Tijuca oferece avaliação de pele gratuita